08 março 2012

A MINHA HOMENAGEM a ALEXANDRE SOLJENITSINE - (1ª Parte)

A MINHA HOMENAGEM a ALEXANDRE SOLJENITSINE (1ª Parte) Partilho hoje convosco, e nos próximos dias, um texto que escrevi em 2006, subordinado ao tema: “Alexandre Soljenitsine e o Comunismo” * 1. O Ambiente em que cresceu Soljenitsine Soljenitsine nasceu na Rússia, pátria do regime comunista instalado em 1917, pela Revolução de Outubro. Nesta Revolução de Outubro, ou Revolução bolchevique, os bolcheviques tomaram o Poder pela força, derrubando o regime Monárquico do Czar Nicolau II. Fuzilaram o Czar, a sua mulher, os seus filhos, os seus criados e respectivas famílias. A Rússia foi progressivamente anexando outros países até se tornar, no pós 2ªguerra mundial, na cabeça de um bloco – a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, conhecida pela sigla de URSS – de países comunistas. O movimento bolchevique sendo no início um movimento de emancipação do povo Russo, que apregoava a fraternidade universal, após a revolução de 1917 cedo transformou o estado russo num Estado todo-poderoso, que passou a praticar a descriminação sistemática de grupos sociais ou nacionais, recorrendo a deportações em massa e, com muita frequência, a assassínios de grande parte da população que se opunha aos bolcheviques. Esta mudança na forma de organização de poder na Rússia deu origem a um confronto ideológico entre os Países Ocidentais e os Países do Leste europeu. Conflito que se foi agudizando, mas que teve um breve intervalo com a aliança estabelecida para derrotar a Alemanha e as potências do Eixo (Itália, Alemanha, Japão). Após 1945 e o consequente terminus da 2ª guerra o conflito político-ideológico reacendeu-se, sobretudo por causa das intenções imperialistas da Rússia. Esta conseguiu anexar metade dos países europeus, os situados a leste, e pretendia expandir a sua influência e domínio político-militar ao resto do Mundo. Queria impor o sistema comunista como sistema de governo generalizado. Do outro lado os países ocidentais, liderados pelos EUA, começaram a defender-se dessas intenções e a contra atacar nos domínios político-militar-ideológico. Nascia assim a denominada "Guerra-fria" (que provocou milhões de mortos em África e na Ásia) que iria acabar em 1989 com a queda do muro de Berlim, ou segundo outros em 1991, com a implosão do sistema comunista da URRS. O confronto ideológico deu-se entre duas visões do mundo: a) a visão capitalista, defensora de um mundo organizado em torno das ideias de liberdade política e da livre iniciativa privada, temperada e supervisionada pelo Estado, b) e a visão comunista defensora da liderança das massas pelos “esclarecidos guias do povo” através de uma economia centralizada e planificada, onde o direito á propriedade pertencia apenas ao Estado. Por outras palavras, e simplificando, de um lado a democracia política e a economia de mercado, do outro a ditadura política e a economia planificada. Mas apesar deste embate, a luta ideológica que marcou o século XX, a luta principal, deu-se entre duas ideologias: Comunismo, de um lado, e Nazismo e Fascismo, do outro lado. Saiu vencedora da 2ª guerra a primeira, aliada ás teorias de mercado e de democracia. Saiu derrotada a segunda, cujos expoentes únicos e máximos foram a Alemanha de Adolf Hitler e a Itália de Benito Mussolini. Na 2ª guerra mundial a Rússia Comunista: 1) primeiro aliou-se aos Nazis, após ter assinado um Pacto de Não Agressão e de Aliança com os Nazis de Adof Hiltler – Pacto Ribentrop-Molotov – que dividia a Polónia em duas partes. Esta aliança só terminou quando a Alemanha invadiu a Rússia. 2) Após essa invasão a Rússia Comunista aliou-se, por mera necessidade de defesa do seu território e dos seus interesses, aos países do bloco ocidental, liderados pelos EUA. E como a Rússia se juntou aos vencedores da 2ª grande guerra saiu ela também vencedora e aproveitou esse facto para escamotear as atrocidades que o seu regime praticava contra os seus próprios cidadãos e contra terceiros, naturais de outros países. Isto com a complacência comprometida dos países ocidentais, seus aliados de ontem. FIM da 1ª Parte ---- (CONTINUA) Melhores cumprimentos Miguel Mattos Chaves
Enviar um comentário