18 março 2014

FACTOS sobre a História Contemporânea Portuguesa

Google

Um POVO que não Respeita o Seu Passado ...
Não tem futuro!
Somos, neste particular, um Caso Único a Nível Mundial!
E como estou farto da Ignorãncia ou da Má Fé dos Cronistas do Regime e de alguns Políticos arvorados, aqui vão alguns FACTOS sobre a História Contemporânea Portuguesa:
...
FACTO 1: - 1950/1973 - PIB PER CAPITA - na Europa, a média passou de 3.568 USD em 1950 para 8.814 USD em 1973, m...ais que duplicou. Portugal, como se verá, passou de um PIB per capita de 2.218 para 7.568 USD, ou seja mais que triplicou neste período o seu produto interno bruto por habitante.
....
FACTO 2: PIB - Em relação ao produto médio da CEE ( a seis membros), o nível do PIB de Portugal era de 40% em 1960, para chegar em 1970 aos 50%.
....
FACTO 3: Portugal teve a maior taxa de crescimento do PIB por habitante da Zona EFTA, e mesmo da Europa, e a sua distância em relação à média mundial, que era em 1950 de apenas mais 4%, passou em 1973 para mais 84%. Isto quer dizer que o nosso PIB per capita era apenas superior, em 4%, à média mundial em 1950, tendo passado a ser superior à média mundial em 84%, no fim do período considerado.
Em relação à Europa a sua distância diminuiu de 62,2% do PIB per capita médio Europeu, para 90% do mesmo em 1973. Ou seja aproximou-se largamente da média europeia.
...
FACTO 4: As taxas das operações activas ( ) que os bancos podiam praticar estavam limitadas por uma margem, acima da taxa de desconto, de cerca de 1,5 pontos percentuais.
...
FACTO 5: Por outro lado, houve algumas melhorias, nomeadamente na diminuição da taxa de mortalidade infantil, por mil habitantes, de 64.9 para 38.9, e na taxa de analfabetismo que desceu dos 30.3% para os 25.6%, bem como noutros indicadores de bem-estar e de desenvolvimento.
No mesmo período, a taxa de mortalidade infantil mundial passou dos 101.2 para os 80.4 e na zona Europa/América de 30.8 para 20.6. A taxa de analfabetismo mundial desceu dos 53.9% para os 42.4%, tendo na zona Europa/América passado dos 15.8% para os 14.3%.
....
FACTO 6: A taxa de crescimento da economia, entre 1970 e 1973, foi de cerca de 9% ao ano, tendo o desenvolvimento sido financiado pelo Estado e por alguns bancos, detidos por alguns grupos económicos. ( )
No período de 1960 a 1970 a Taxa Média de Crescimento do PIB foi de 6,2%.
A taxa de desemprego rondou os 2% na década de 1960 e a emigração diminuiu, no referido período. Os défices públicos andaram sempre abaixo do 1% do PIB.
No entanto houve duas excepções: no período do pós-guerra, 1947/1948, e nos anos de 1961 a 1963 o déficit esteve acima dos 3%.
No começo da década de sessenta, a dívida pública cresceu dos 21,6% em 1960, para os 28,1% em 1964, tendo a dívida externa crescido de 2,5% em 1960, para 7,9% em 1964, tendo estes acréscimos sido devidos ao começo da guerra no ultramar, verificado em Angola, Moçambique e Guiné, tendo estes eventos afectado algo o prestígio do país que, no entanto, nunca correu riscos graves.
...
FACTO 7: A inflação foi sempre rigorosamente controlada tendo apresentado valores médios de 2,3% ao ano durante o período compreendido entre 1950 e 1970. No período seguinte subiu para os 7%.
A taxa de desconto do Banco de Portugal era de 2% em 1944, que se manteve até 1965, tendo subido a partir daí para os 2,5%.
...
FACTO 8: Em 1º lugar: quem introduziu o Estado Providência em Portugal foi o Doutor Salazar. Ou seja instituíu o Sistema de Reformas e Pensões,
Em 2º lugar: Instituíu a Saúde Gratuita, nas Caixas de Previdência, o Ensino Primário e Universitário Gratuito, etc... etc... etc...Aconselho os meus amigos a não "empranhar" pelos ouvidos ou seja pela voz de pessoas que estão OU de Má Fé, OU são ignorantes.
...
FACTO 9: ERRO - o problema de não ter incentivado a Emigração para Angola, Moçambique, etc..., seguindo a Política da 1ª República. Só "acordou" para esta necessidade na década de 1960;
...
FONTES UTILIZADAS:
Estatísticas da O.C.D.E., da E.F.T.A., do Banco de Portugal.
...
Estes excertos constam do meu Livro publicado em Maio de 2005, editado pela "Sete Caminhos" em Lisboa, com o Prefácio do Prof. Doutor Ernâni Lopes, e com o Título: "Portugal e a Construção Europeia - Mitos e Realidades - 1945-2000" que já se encontra práticamente esgotado e para o qual procuro um Novo Editor para reedição.
...
Por agora é tudo. Portugal precisa de Respeitar o seu Passado, para poder Ter Futuro.
Agora comparar o Dr. Passos Coelho com o Doutor António de Oliveira Salazar é comparar Algés com Miami Beach.
...
NOTA FINAL: Morreu com 40 contos no Banco e com ordens para que o seu funeral fosse pago com esse dinheiro e não com dinheiro do Estado.
Melhores cumprimentos
Miguel Mattos Chaves
Enviar um comentário