20 maio 2016

Uma Falsa questão aproveitada por um lado e pelo outro - Não há inocentes

Se os Colégios são Privados, e muito bem, e cobram as Propinas como tal, e muito bem, a que propósito têm que recorrer a dinheiros públicos?
Sou a favor da Livre Iniciativa Privada.
...
Mas isso quer dizer que o Estado não tem que meter o nariz, nem para o bem, nem para o mal. Ou estarei enganado?

Percebo os argumentos expostos pelas várias partes. Dos mesmos retiro que o Estado andou mal ao contratar colégios privados. Não tem que o fazer, mais a mais quando andam a fechar escolas por falta de alunos.

A escolha das famílias sempre se fez.
Eu por exemplo nunca andei num estabelecimento público por escolha da minha família que assim, livremente, o escolheu;
Portanto o problema da liberdade de escolha está deslocado desta questão dado que só vão para colégios particulares ou para estabelecimentos públicos quem os escolhe;

Não é proibido frequentar um colégio privado, que eu saiba e muito menos obrigatório.
De igual modo não é proibido frequentar um estabelecimento público nem é obrigatório frequentá-lo.

Assim sendo, repito que a questão da liberdade de escolha não se coloca.

Dir-se-á que quem quer ir para os públicos tem pouca ou nenhuma escolha pois o critério de residência a isso obsta ou obstava (não sei se esse regulamento ou portaria ainda está em vigor ou já foi revogado).

Então se isso continua a ser assim o que há a fazer é liberalizar a escolha também no público, já que no privado esse condicionamento nunca se colocou.

Por fim, sim o Estado anda mal no ensino.
Desde há pelo menos 42 anos, que eu me lembre, que muda o Ministro, muda a Política.
E neste caso não há inocentes. PS e PSD têm-se "entretido" neste jogo com evidentes prejuízos para a comunidade nacional.

O Estado não é pessoa de bem.
Claro que deixou de o ser há muito.
E nessa medida também não há inocentes.

O PSD em Agosto de 2015 (no fim da legislatura) proceder a este tipo de contratos revelou o seu evidente desprezo pelo sistema democrático, pois em fim de legislatura não se fazem reformas destas, muito menos quando vão comprometer Pais, Alunos, Escolas, por um tempo em que não sabem se continuarão a governar.

O PS, por seu lado, também não andou bem pois desfez inopinadamente um contrato entre Estado e Particulares, ainda por cima a meio de um ano lectivo.

CONCLUSÃO: Não será chegado o tempo de os cidadãos agirem e penalizarem estes Partidos e exigirem um Novo Modelo de Governação?

Miguel Mattos Chaves

Enviar um comentário