07 julho 2014

a ECONOMIA do EMPREGO - 2014

Os NÚMEROS REAIS, da Economia do Emprego,
com apenas UMA pergunta:

1.) - EMPREGOS (INE)
- 2011 - 4,837 milhões,
- 2014 - 4,420 milhões, ...
Ou seja:
Existem menos 437 mil empregos, ou seja menos 8,62%
“””””””””””””””””””””””””””””””””””
2.) - POPULAÇÂO ACTIVA (+ de 15 anos) (INE)
- 2011 – 5,543 milhões
- 2014 – 5,215 milhões (1ºTrim)
Ou seja:
A população Activa tem menos – 328 mil pessoas, ou seja menos 5,91%

2.1.) – Evolução da Taxa de Actividade
- 2011 – 61,3%
- 2012 – 61,0%
- 2013 – 60,2%
- 2014 – 58,7% (1ºTrim)
“””””””””””””””””””””””””””””””””””
3.) - POPULAÇÂO EMPREGADA (INE)
- 2011 – 4.837.000
- 2012 – 4.634.700
- 2013 – 4.513.500
- 2014 – 4.467.600
..
3.1.) - Taxa de Emprego
- 2011 – 53,5%
- 2012 – 51,4%
- 2013 – 50,4%
- 2014 – 49,8% (1ºTrim)
Ou seja:
Temos menos população empregada e continua a cair a taxa de emprego.
“”””””””””””””””””””””””””””””””””””
4.) QUALIDADE do EMPREGO (INE)
Portugal conta em 2014 com menos 252 mil empregos a tempo completo.
- 2011 - havia 4,1 milhões de trabalhadores em full-time,
- 2014 - são cerca de 3,85 milhões.
Ou seja:
Existem menos 250 mil empregos em full-time, ou seja menos 6,1%

5.) - 2014 - Empregos a tempo parcial – Subemprego – 244,9 mil
“”””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””
6.) EMIGRAÇÃO - Emigraram de Portugal para o Estrangeiro:
Cerca de 292 mil membros da população activa de Portugal desde o final de 2011, até ao final de 2013 (população com mais de 15 anos)
“””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””””
7.) DESEMPREGADOS (INE)
- 2011 – 706,1 mil
- 2014 – 788,1 mil
Ou seja, número de pessoas Inscritas nos Centros de Emprego, que é o critério oficial estabelecido para serem classificadas como desempregados.

7.1.) Evolução:
População Desempregada
2011 – 706,1 mil
2012 – 860,1 mil
2013 – 875,9 mil
2014 – 788,1 mil (1ºTrim)

7.2.) Taxa de Desemprego
2011 – 12,7%
2012 – 15,7%
2103 – 16,3%
2014 – 15,1% (1ºTrim)

7.3.) - NOTA INFORMATIVA:
Sabe-se que muitos milhares de pessoas deixaram de estar inscritos nos Centros de Emprego, por várias razões, deixando assim de contar para os números oficiais do desemprego/taxa de desemprego:
A - porque desistiram de procurar emprego e deixaram de comparecer nos Centros de Emprego, deixando assim de estar inscritos como desempregados, em consequência deixam de ser oficialmente classificados como desempregados;
B - porque estão a frequentar estágios em empresas ou instituições públicas ou privadas, contratualizados entre o IEPF e empresas e como tal deixam de ser oficialmente classificados como desempregados;
C - porque estão a frequentar cursos de formação contratualizados pelo IEFP e como tal deixam de ser oficialmente classificados como desempregados;
“”””””””””””””””””””””””””””””””””
NOTA FINAL: Creio assim poder afirmar que o número REAL de desempregados REAIS (pessoas que procuram o primeiro emprego ou que perderam emprego mas que já desistiram de procurar por falta de esperança, ou que optaram por emigrar para obter trabalho, se situe á roda de 1,1 ou 1,2 milhões de pessoas.
….
Apenas uma PERGUNTA:
- Será sério o que tem vindo a público?
À vossa consideração e conclusões.

Melhores cumprimentos
Miguel Mattos Chaves
Ver mais

Google
Enviar um comentário