26 junho 2017

O NEGÓCIO do AMBIENTE e a HIPOCRISIA...

A HIPOCRISIA do AMBIENTE
...
Estou farto de conversa “fiada” e de pretensos “estudos científicos”, já agora pagos a “peso de ouro” por todos nós, a alguns.

Se são realmente defensores do Verdadeiro Ambiente Saudável, (tal como eu) então quando quiserem dizer-se defensores do "dito ambiente" comecem por exigir: ...

(1). – Exijam a proibição da produção, importação, venda e uso de Garrafas de Plástico.
É que já há "ilhas" no Oceano desses materiais.
Exijam que se atribua às indústrias que as produzem, um subsídio para reconverterem a sua produção para a produção de Garrafas de Vidro, essas sim “amigas do dito ambiente”.

(2). – Exijam a proibição da produção, ou importação, venda e uso de Sacos de Plástico.
É que já há "ilhas" em Terra e nos Oceanos desses materiais.
Exijam que se atribua às indústrias que as produzem, um subsídio para reconverterem a sua produção para Sacos de Papel, esses sim “amigos do dito ambiente”.

(3).- Exijam que os Resíduos Industriais e Domésticos passem a ser Pagos a quem os produz (empresas e pessoas individuais) no acto de entrega às ditas “empresas de reciclagem ambiental”.

(4).- Exijam que sejam pagos, aos proprietários de zonas florestais, os sub-produtos da floresta (caruma, pinhas, pinhões, ervas, etc…) que podem ser aplicadas e aproveitadas na indústria dos aglomerados ou em produção de fertilizantes, a quem os produz (empresas e pessoas individuais), no acto de entrega às ditas “empresas de reciclagem ambiental”.

(5).- Exijam a Plantação intensiva de Árvores, ou seja, Reflorestar Portugal.
As Árvores absorvem o tal CARBONO e produzem OXIGÉNIO.
Contribuem para uma maior pluviosidade e humidade das zonas onde existem.
Então, Exijam a Reflorestação de Portugal e das suas Serras, a começar pelas terras pertencentes ao Estado e Autarquias, o que não tem acontecido.
Então, Exijam a Reflorestação de Portugal e das suas Serras atribuindo subsídios ou ajudas financeiras atractivas aos proprietários privados, individuais, das zonas florestáveis e impeçam a florestação de zonas agrícolas.

E outras medidas que enunciarei mais tarde.

Caso contrário, deixem-se de “conversa fiada” que só servem para “alimentar” o Negócio Multimilionário da dita “protecção do meio ambiente” e das “multinacionais ambientalistas”, que também têm sucursais no nosso país.

Desculpem a rudeza com que escrevo esta nota.
Mas, por mim, estou farto das conversas que só servem para enriquecer alguns poucos, (Estados incluídos), e empobrecer muitos,
e que não acrescentam nada à Verdadeira defesa do meio ambiente.

Melhores cumprimentos
Miguel Mattos Chaves
Candidato a Presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz
Pela Coligação “Fazer Diferente”
(CDS-PP, PPM, REFORMADOS, INDEPENDENTES)

Enviar um comentário