11 fevereiro 2014

ANÁLISE - PONTO de SITUAÇÂO sobre a ECONOMIA - Fev 2014

Google



ANÁLISE
- PONTO de SITUAÇÂO sobre a ECONOMIA


Ainda
sem os dados definitivos, que só serão publicados pelo INE lá para Março do
corrente ano, a confluência de vários indicadores permitem-me uma primeira
aproximação ao estado da economia portuguesa.


….


(1)   Situação do
Emprego/Desemprego


Parece haver uma evolução positiva, sobretudo na criação de emprego.


E isso é bom.


Neste capítulo, este comentário faço-o com reservas
pois ainda não tenho claro o retrato total da situação, nomeadamente sobre:


(a)     a 
criação líquida de emprego (empregos criados - menos empregos
destruídos) ;


(b)   a sua qualidade remunerativa
(média de remunerações dos empregos criados);


(c)    o saldo real do desemprego
(saídas de inscrições do IEPF, emigração, vs total);


De qualquer das formas, para o restauro progressivo
da CONFIANÇA de eventuais investidores, dos cidadãos face ao consumo e
investimento e consequente reanimação da economia, este indicador é BOM!


….


(2)   Situação de Financiamento do
Estado


Hoje o Estado conseguiu mais cerca de 3 mil milhões de euros de
financiamento, pelo prazo de 10 anos, a uma taxa de 5,11%.


É um resultado positivo face ao passado recente (2010/2011/2012/2013)
mas ainda com algumas reservas técnicas:


(a)    Tratou-se de uma emissão
GARANTIDA pelos Bancos (isto é se não houvesse procura suficiente os Bancos
ficariam com os títulos de dívida do Estado);


(b)   Portanto, não foi, uma
Emissão livre nos ditos mercados financeiros, em que o Governo insiste, mas que
é o único indicador com passado que se possa comparar;


(c)    Se analisarmos á luz da Taxa
de Juro da Dívida colocada junto da “troika” então ainda estamos acima; Juros
da Troika (média): 3,55% . Hoje junto dos Bancos: 5,11%;


De qualquer das formas, e mais uma vez, para o
restauro progressivo da CONFIANÇA junto dos investidores privados internacionais,
dá um sinal positivo e é BOM!


Também é positivo o Estado ter garantidos os fundos
para a totalidade das necessidades de 2014 e para parte do ano de 2015, o que
nos poderá abrir caminho para uma saída do Programa de Assistência da “troika”
á Irlandesa.


….


(3)   Situação da Economia


(a)    Apesar dos crescimentos
trimestrais, ainda estamos em terreno negativo de progressão da economia
Portuguesa, se compararmos 2012 com 2013; E isto não é bom!


É menos mau, é uma tendência mas ainda não podemos dizer que há uma
recuperação da Economia, mas sim sinais de que isso possa vir a acontecer.
Vamos ver os resultados do 4º trimestre e logo veremos.


(b)   O caminho seguido não é bom:


Até aqui:
Depressão do Poder de Compra dos cidadãos que trabalham por conta de outrém,


                Depressão do Poder de Compra dos
cidadãos reformados e pensionistas,


Não prefigura
uma evolução sustentável, no sentido positivo, da Economia.


(c)    O comportamento das
exportações continua a ser bom, mas muito influenciado pelas exportações dos
derivados do petróleo (gasolinas, gasóleos, etc…) que tiveram baixas de consumo
em Portugal e que são exportados por isso mesmo;


No entanto, a diversificação
de destinos dos mercados de destino dos bens exportados, é positiva e se essa
estratégia, por parte das empresas, (com alguma ajuda pela introdução das
práticas da Diplomacia Económica instaurada pelo Presidente do CDS-PP),
prosseguir, isso será positivo para as empresas, para o emprego, para a
economia, para Portugal.


….


E,
por hoje, é o que se me oferece dizer.


Aos
vossos comentários e reflexão.


A
Bem de Portugal.


Melhores
cumprimentos


Miguel
Mattos Chaves 
Enviar um comentário